O Governo Federal incluiu 13 aeroportos na carteira do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). A concessão dos aeroportos mostra novo perfil com grupos estrangeiros, o que, de acordo com o presidente Michel Temer, marca a reconquista do país de sua ‘credibilidade no cenário internacional’.

Os aeroportos incluídos na lista para futura concessão são de Vitória (ES), Recife (PE), Aracajú (SE), Maceió (AL), Macaé (RJ), Juazeiro do Norte (CE); Campina Grande e Bayeux, na Paraíba (PI); e Várzea Grande, Rondonópolis, Sinop, Alta Floresta e Barra do Garças (MT). De acordo com o decreto presidencial, os aeroportos poderão ser concedidos individualmente ou em blocos, conforme decisão que será subsidiada pelos estudos de modelagem da desestatização.

Além desses, com a saída de Congonhas do programa de concessões, o governo pretende incluir o aeroporto Santos Dumont (RJ), e ainda há estudos para leiloar em um só bloco o terminal de Manaus e os aeroportos regionais do Amazonas. Durante um evento no qual o governo apresentou o programa de concessões no exterior, os blocos de aeroportos despertaram bastante interesse dos investidores, que mostraram maior entusiasmo no novo bloco do que no aeroporto de Congonhas, já que o aeroporto paulista envolve risco por ser localizado no centro de uma grande cidade.